DOENÇAS DA COLUNA

Dor Lombar ou Lombalgia e Lombociatalgia

A dor lombar ou lombalgia relaciona-se apenas ao sintoma clínico e não especifica uma doença na coluna. A lombociatalgia é o sintoma no qual o paciente refere dor em região lombar associado a irradiação para o(s) membro(s) inferior(es).

O que é?

Dor lombar ou lombalgia é o sintoma no qual o paciente apresenta dor em região lombar, aguda (até 15 dias), subaguda (15 a 60 dias) ou crônica (mais de 2 meses) e tem sua origem em alguma estrutura da coluna vertebral lombar. A lombociatalgia é o sintoma clínico no qual o paciente apresenta dor lombar associada a irradiação para uma ou ambas as pernas até o pé, no trajeto de uma raiz nervosa ou dermátomo, e está associada em geral à compressão de uma raiz nervosa. Deve ser diferenciada clinicamente da dor pseudociática na qual o paciente tem dor até a altura do joelho e isso não representa, em geral, compressão nervosa e sim, inflamação das articulações zigo-apofisárias da coluna.

Quem tem dor lombar?

Os problemas da coluna lombar atingem desde jovens antes dos 20 anos até pessoas idosas com mais de 90 anos, e o aparecimento dos sintomas vai aumentando com a idade.

Quais são os tipos de dores e sintomas associados?

A dor pode ser de várias formas:

- apenas nas costas (dor axial lombar)
- irradiar para glúteos e coxa parando ao nível do joelho (dor pseudociática)
- descer para glúteos, coxa, perna e ir até o pé (dor ciática)
- uma mistura desses tipos de dores.
Outros sintomas incluem formigamentos, dormências, perda de força para determinados movimentos e claudicação neurológica, que é quando a pessoa caminha e é obrigada a parar por causa da dor ou formigamento nas pernas.

Como se desenvolve ou se adquire?

A dor lombar pode ter sua origem em qualquer estrutura que participa da formação ou do conteúdo da coluna vertebral, ou seja, discos intervertebrais, articulações zigo-apofisárias ou facetárias, raízes nervosas, corpo vertebral, ligamentos e musculatura paravertebral. Os fatores envolvidos no desenvolvimento da dor são diversos como a genética individual, sexo, idade, sedentarismo, tabagismo (fumo), atividade do trabalho, entre outras coisas.

Quais as possíveis causas?

Como vimos acima, as causas de lombalgia são as mais diversas possíveis, tais como:

- hérnia de disco (clique aqui):
pode estar associada ao processo degenerativo, ao envelhecimento natural ou a um traumatismo (queda ou acidente, por exemplo). É uma causa muito comum tanto de dor apenas nas costas, mas muitas vezes causa compressão de raízes nervosas e consequentemente a dor ciática, podendo vir ou não associado a perda de sensibilidade ou de força na perna ou no pé.

- doença degenerativa discal ou da coluna:
é concomitante ao processo natural do envelhecimento e tem grande influência da genética individual. Envolve o desgaste e achatamento dos discos, artrose das articulações, diminuição dos espaços por onde passam os nervos (estenose de canal ou foraminal) e instabilidade da coluna. Enfim, pode ser o causador dos mais diversos tipos de dores e sintomas.

- espondilolistese (clique aqui):
é o escorregamento de uma vértebra sobre a outra e pode ocorrer tanto em crianças (displásicas) quanto em adultos (degenerativa). Trata-se, em geral, de instabilidade da coluna e geram dor principalmente ao iniciar um movimento, como se levantar ou iniciar a caminhada.

- fraturas vertebrais (clique aqui):
pode ser causada por um trauma ou acidente, mas também estar associada à osteoporose que é uma doença que enfraquece os ossos, principalmente de pessoas idosas. O tratamento é muito diferente entre os diversos tipos de fraturas.

- doenças neoplásicas (tumores primários ou metástases - clique aqui):
são mais raros, mas devemos lembrar que a coluna pode ser acometida por tumores, os quais podem ser dos mais diversos tipos, origens e gravidade.

- contraturas musculares:
pode ser tanto por um esforço físico, como também por um reflexo de proteção do próprio organismo ao identificar que alguma outra estrutura da coluna está com problema

Como o médico faz o diagnóstico?

A dor lombar é referida pelo paciente, assim como a lombociatalgia. Cabe ao médico, realizar exame clínico para avaliar as causas mais prováveis para o quadro em questão.

Em alguns casos é necessário a realização de exames complementares que analisem a coluna, tais como a radiografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética. Em situações específicas, se faz necessário a solicitação de exames complementares mais específicos como a densitometria óssea, cintilografia óssea, mielografia ou mielotomografia, entre outros exames.

O diagnóstico é INDIVIDUAL e deve ser feito por médico especialista.

Como tratar?

O tratamento depende do causador da dor do paciente.

Sendo assim, nos casos de hérnia de disco pode ser necessário apenas tratamento clínico e em alguns casos cirurgia. As fraturas vertebrais podem requerer intervenção cirúrgica e as doenças neoplásicas, além da cirurgia podem necessitar de tratamento complementar com radioterapia ou quimioterapia, a depender do tipo histológico do tumor. Leia os outros tópicos para saber mais sobre os tratamentos disponíveis.

Como previnir?

Nos casos de dor lombar causados por doenças degenerativas, que são os mais comuns, se faz obrigatório a prática de atividades físicas de rotina que incluam o fortalecimento, principalmente, da musculatura abdominal e lombar.

Nos casos de fraturas, a prevenção deve ser o combate à osteoporose para prevenir fraturas osteoporóticas e o trauma da coluna que pode acometer tanto pacientes saudáveis, quanto pacientes idosos ou portadores de osteoporose.

Para pacientes com doenças neoplásicas, a prevenção é feita com o tratamento da doença primária, para evitar metástases.



whatsapp
Designer by Neoware - Criação e Desenvolvimento de Websites e Sistemas - Desafie nossa Criatividade